segunda-feira, 1 de junho de 2009

MARATONA DE SÃO PAULO - NÃO CHEGUEI!!!!!!



MARATONA DE SÃO PAULO - NÃO DEU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Boa Tarde a todos

Este final de semana passei por mais uma experiência com a corrida.
A de não conseguir chegar ao final do desafio.
È péssima a sensação, ver as pessoas indo embora e não conseguir acompanhar, é horrível, mas contarei a história toda.
Eu e a Cleide acordamos por volta das 05:00hs, dormindo em minha casa estava a Vera, irmã da Cleide, ela correria os 10km e a Cleide os 25km.
Tudo tranqüilo, tomamos a penas um cafezinho, deixamos para tomarmos um bom café na padaria, afinal a corrida só começaria as 09:00, havia tempo suficiente.
Chegamos no estacionamento da rua Tutóia as 06:45, os nossos amigos Crezildo e Gláucio já estavam nos aguardando, fomos na padaria tomamos um café em seguida chegou o Félix.

Pegamos um ônibus comum e nos dirigimos até o ponto da largada, que seria na ponte Estaiáda, região do Morumbi.

No ponto de largada encontramos vários amigos, alguns iriam para os 42km outros para os 25km, todos em ponto de bala.
Eu estava me sentindo ótimo, para dizer a verdade, nunca estive tão bem para uma corrida como me sentia para esta maratona, tinha uma empolgação até fora do comum, em um primeiro momento estava na cabeça apenas chegar, mas conforme chegava a hora da largada, sentia que daria para fazer melhor, achei que poderia até diminuir o tempo da maratona de Porto Alegre que era 04:07hs.
Mas como dizem, “fazemos um planejamento e DEUS faz outros”
Foi o que aconteceu, foi dada a largada, estava posicionando bem atrás, afinal ainda estava indeciso que faria na corrida, por isso, tive uma saída cautelosa, com bastante calma.
Quando chegou no km 1, isso mesmo, no km 1, comecei a sentir um pequeno desconforto na panturrilha esquerda, achei que não tivesse feito um aquecimento, continuei, e sempre frisando sem forçar, mas quando chegou no km 2, parecia que havia furado um pneu de carro, veio uma fisgada forte e logo em seguida um forte dor, a maratona de São Paulo acabou no km 2.
A sensação foi de raiva, ódio, eu simplesmente não acreditava no que estava acontecendo, nunca fui para uma maratona tão bem como estava nesta, e não passei do km 2.
No começo da lesão não acreditei e ainda tentei continuar, mas a dor era muito forte, passou do meu lado o Junior e vendo que eu estava com dificuldades me perguntou se não poderia acompanhá-lo até o km 25, tentei , mas não dava, passei a andar.
Até para caminhar estava difícil, todos me passando, veio a mente alguns amigos que também passaram pela mesma situação, o Dídimo, Rodrigo, Edson, Lú, Crezildo e tantos outros, e pensei comigo, é um momento muito difícil.
Cheguei na região do Ibirapuera, fiz os 10 km com duas horas de caminhada, cada posto de água eu pegava um gelo e colocava na lesão.
Chegando fui entregar o chips, a menina queria me entregar a medalha, mas respeitosamente recusei, afinal não consegui vencer o desafio, portanto não merecia a medalha. Fiquei na arquibancada aplaudindo e tirando fotos dos amigos que estavam para chegar, fiquei até todos chegarem.

Bem agora farei a mea-culpa.

Vários amigos me alertaram para o risco que eu correria fazendo duas maratonas em uma semana, não dei ouvidos, e continuei com o meu projeto e paguei o preço.
Quando cheguei na região do Ibirapuera já cheguei melhor em matéria de pensamentos, afinal eu joguei e perdi, e perder também faz parte do jogo.
Estou sempre correndo em várias regiões, tanto de São Paulo, quanto do Brasil, e não lembro de voltar contundido, tenho que estar preparado também para não chegar, como eu disse no começo, é uma experiência nova.
Em compensação fui beneficiado vendo vários amigos que aceitaram o desafio de correr uma maratona e chegarem muito bem, nos brincamos bastante, mas eles sabem que torço por eles e fiquei muito feliz vendo-os chegarem, sei não é fácil correr 42km.
Vou deixar claro que não desisti do meu projeto, vou tratar a lesão e arrumar uma outra maratona para substituir a de São Paulo e é claro me preparar melhor.

Gostaria de comentar também sobre um amigo que conheci no SESC Pinheiros algum tempo atrás, o nome é Artur. Ele foi de uma solidariedade fantástica, comprou alguns gatorade e ficou no km 15 distribuindo para os amigos que passavam, ele havia combinado que ficaria neste km da corrida para me entregar um, e fiquei muito chateado por estar contundido e não ter como avisá-lo que não chegaria.
Mais tarde liguei para ele e fiquei sabendo que ficou no local até passar o caminhão desmontado a pista, aí sim ele teve a certeza de que eu não passaria.
Artur quero usar este blog para te agradecer em meu nome e tenho certeza em nome da turma toda pela sua solidariedade e pela sua amizade, MUITO OBRIGADO.

Tenho certeza que o ano que vem não tomarei o gatorade, por que você não estará lá para entregá-lo, sabe por que?------ porque você estará correndo conosco.

ABRAÇÃO MEU AMIGO E MAIS UMA VEZ MUITO OBRIGADO.

Gostaria de dar os parabéns a todos que venceram este desafio.

A Vera irmã da Cleide que correu os 10km, e tenho certeza que estará sempre correndo com a turma.



A Cleide que completou os 25km, e o ano que vem esta planejando fazer os 42km. Arnaldo, Eva, Gláucio, Crezildo, Junior, Félix, Edmilton, e a todos que participaram deste grande desafio.


VIDEO DA CHEGADA DO ARNALDO
video

VIDEO DA CHEGADA DO GLAUCIO
video


VIDEO DA CHEGADA DO CHUCHU video

Parabéns a todos.

Próximo tiro: ESTALEIRO, FUNILARIA COMPLETA, E TALVEZ UMA PINTURA NOVA.

2 comentários:

Carlos Hideaki Fujinaga MM #1024 disse...

Força, Edmilson!!
Descansa bem e nos vemos na próxima!!

Grande Abraço do Hideaki

Anônimo disse...

boa tarde meu amigo voce chegou sim voce chegou comigo nos 25 km, com minha esposa o primeiro dela nps 10 km sem diser com todos seus amigos todos nois temos um pouco de voce da cleide e de tantos outros muito obrigado voce nos ajuda muito voce merece parabens meu amigo (junior)