segunda-feira, 29 de junho de 2009

MARATONA INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO

Boa tarde a todos.

Este final de semana estive no Rio de Janeiro, participando da Maratona Internacional.
Fui acompanhado da Cleide e da minha filha Jacqueline, o Rafael não pode ir pois iria trabalhar.
Chegamos no Rio mais ou menos as 12:30hs do sábado e fomos direto para o hotel fazer o check-in e depois buscar o kit na estação Estácio do metro.
O local de entrega estava um muvuca, pois havia uma feira de material esportivo, depois um passeio de ônibus e acabamos em Copacabana, andamos no calçadão e depois uma belo almoço. video
Foi um sábado bem tranquilho, onde mais ou menos 21:00hs ja estava dormindo, afinal a Maratona estava chegando.
Acordei no domingo por volta das 05:00hs, a noite choveu bastante, acordei bem cedo porque tinha que resolver como iria me deslocar até a largada, procurei ver se achava alguem para dividir um taxi, eram 05:55hs e não achei ninguém, a maioria estava indo para a largada dos 21km, as largadas sairiam em locais diferente.
Para ir de táxi sozinha não tinha condições, pois sairia muito caro, resolvi pegar o metro e tentar chegar, foi um martírio, ninguém sabia como fazia para chegar ao local, fora isso esqueci o meu óculos, ou seja, não estava enxergando nada.
Depois de muito tempo consegui a informação de uma pessoa que havia corrido o ano passado, peguei o ônibus e fui ao local da largada, quando cheguei o pessoal ja havia saído, foi um estresse, todos indo embora e eu tinha que guardar as coisas no guarda volume e é lógico ir ao banheiro, quando consegui terminar de fazer as coisas ja não tinha ninguém na linha de largada, me deu vontade de pegar o ônibus de volta e ir para o hotel dormir, mas pensei direito e fui para a maratona.
A minha previsão para a corrida era de terminar em 04:30, pois estava vindo de uma lesão e ainda sem treinar adequadamente.
Comecei tranqüilo, procurei esquecer todo o estresse da fase inicial e me concentrar na corrida, nos 5km ja comecei a alcançar alguns retardatários o que me deixou mais aninando, consegui fazer o primeiros 10km em 55min, procurei diminuir mais, pois achei que estava rápido para o que foi planejado, mesmo assim cheguei nos 21km abaixo de 2 horas.
video
O começo desta maratona é constituído de aproximadamente 27km só de retas, o que não é fácil, chega uma hora que você ja não agüenta mais de tanto acelerar, comecei a ver muita gente quebrando. Não sei se foi psicológico mas no km 30 comecei a sentir um certo desconforto na panturrilha esquerda, a mesma que me deixou na mão na Maratona de São Paulo, como estava com tempo sobrando procurei alternar entre caminhadas e pequenos trotes, estava com medo dela estourar de vez, não por causa desta corrida, mas teria que parar novamente para poder cuidar.
Passando pela praia do Leblon fui atropelado por uma bicicleta, é verdade!!!!!, eu correndo veio uma menina atravessar a rua, acredito que estava distraída e acabou passando com a bicicleta na minha frente, no fim eu acabei atropelando ela, mas não aconteceu nada de mais grave, fiquei até preocupado com ela.
Quando chegamos em Copacabana não resisti ,o sol estava muito forte, e fui até um Quiosque tomar uma cervejinha gelada, por isso é bom estar um pouquinho adiantado sobre o planejado, o pessoal que estava torcendo não agüentaram e deram muitas risadas, e perguntaram, se eu não iria correr mais? Respondi: "!COM UM VISUAL DESTE, NÃO TENHO PRESSA ALGUMA, hehehehe, a cerveja estava maravilhosa.
Depois da cervejinha procurei arrumar a postura e trotar até a linha de chegada, a Cleide estava estava na linha de chegada me dando a maior força.
Tempo total: 04:35 min, dentro do que foi estabelecido, sem lesões, ja que era a minha maior preocupação. video
Foi um passeio maravilhoso, espero que no próximo eu possa levar o meu filho Rafael.

Um grande abraço a todos.

PRÓXIMO TIRO: DESAFIO DA MATA ATLÂNTICA, 04/07/2009 - 7,5KM SÓ DE SUBIDA. ATÉ LÁ

segunda-feira, 22 de junho de 2009

ARTUR E LÚ, UMA ESTRÉIA EM GRANDE ESTILO




Este final de semana Eu a Cleide, Gláucio e a Janete estivemos na região da Cidade Universitária (USP) prestigiando a estréia de dois amigos no circuito de corridas.
Luciana e Artur, a corrida escolhida não poderia ser melhor a REEBOK, uma prova de 10 e 5km feita no sábado à noite com muita festa.
Combinamos um encontro na praça Panamericana para chegarmos juntos na USP e fazer toda a preparação, aquecimento e alongamento.
Quando chegamos o Artur já estava no local, enquanto fui buscar gatorade e água para os atletas a Lú chegou.
Eram 18:30hs e já estávamos no local da corrida, chegaram logo em seguida o Gláucio e a Janete, também encontrei um amigo do futebol Custódio que estava vindo de uma contusão e o plano era de fazer os 10km, a noite estava bem agradável, realmente eles foram felizes da escolha da corrida.
A largada foi dada as 19:30hs, eu acompanharia o Artur e a Cleide ficaria com a Lú, o Gláucio e a Janete se encarregariam das fotos, ou seja, eles estavam bem assistidos.
Começamos bem lentamente, o plano do Artur era fazer a prova em 50 minutos, como era a primeira não queria forçar para não quebrar.
O primeiro 2 Km foram feitos em 18min, ou seja, já tinha uma sobra em relação ao tempo pretendido, enquanto ele corria eu tratava de trazer água, gatorade, o homem não fazia força alguma, só corria, em momento algum reclamou de cansaço, faltando uns 1,5km para terminar a corrida perguntei novamente se estava doendo alguma parte do corpo, falou que estava tudo OK.
Chegamos com o tempo de 46:53, o tempo pretendido foi pulverizado, já estavam nos esperando a Lú que também fez uma corrida maravilhosa, e diga se de passagem, chegou sobrando, tinha fôlego para mais uns 3km, realmente o treinamento que ela tem feito durante a semana foi compensado com uma ótima performance.
Depois fomos para a sessão de fotos e bate papo esperando o Custódio que também chegou inteiro.


Gostaria de dar os parabéns aos dois, foi um grande prazer estar com vocês neste momento, gosto muito de participar de provas e quando posso participar e ajudar os amigos fico muito feliz, espero que seja a primeira de muitas corridas.
Tenho certeza que falo em meu nome, Cleide, Gláucio e Janete e dos amigos que não puderam estar presentes na corrida, tenho certeza que estavam todos torcendo por vocês.
Um grande abraço e até a próxima.


MEIA MARATONA DE SANTO ANDRÉ




No domingo estive na região de Santo André para participar da meia maratona do Shopping ABC.
Tinha uma preocupação, pois estava vindo de contusão na panturrilha e um tempo sem treinar e para agravar mais o quadro da última vez que fui tentar fazer esta mesma corrida a minha panturrilha estourou.
Cheguei na região por volta das 07:30hs, a largada seria as 09:15hs, estava muito frio e desta vez fui sozinho.
Procurei fazer um aquecimento e depois do mesmo fiz também um alongamento, a prova estava bem estruturada, com local para você descansar entes da prova, banheiros dentro do próprio shopping, estava tudo tranqüilo.
Foi dada a largada, quando se esta vindo de uma contusão você corre com um pouco de medo, estava com esta sensação, procurei correr o mais relaxado possível para não forçar, na vidada do 5ª KM existe uma descida forte, onde me machuquei na prova anterior, quando me aproximei dela fiquei um pouco apreensivo, mas passei por ela numa boa, comecei a ganhar confiança e segui em frente, sempre focado na corrida e deixar o corpo o mais relaxado possível.
Mais ou menos no KM 12 encontrei com uma amigo Carlos Fujinaga que conheci maratona de Curitiba, fizemos um bom pedaço do percurso juntos, o que me ajudou bastante a esquecer o medo. O percurso foi até fácil, cheguei com o tempo de 1:59min, até abaixo que eu esperava, pois em virtude dos acontecimentos tinha em mente faze-lá em 2:15hs.
Fiquei feliz por não estar sentindo dor alguma, agradeço as pessoas que estavam torcendo por mim, e em especial a Lucina Lima que na sexta feira, fez uma auriculoterapia e tenho certeza foi fundamental para que termina-se bem a corrida.

Depois da corrida fui até a casa do meu irmão Claudião, onde os dois irmãos Brunão(O DESTRUIDOR) e Leo(O DEMOLIDOR) estavam preparando uma carne de panela maravilhosa e é claro com a ajuda da irmã Carlinha, o Claudião tentou receber os louros do belo prato, mas eu sei que quem fez foi as crianças e claro com todo o apoio da mamãe Márcia.


Um grande abraço a todos.

PRÓXIMO TIRO: MARATONA DO RIO DE JANEIRO, 28/06/2009, ATÉ LÁ

segunda-feira, 1 de junho de 2009

MARATONA DE SÃO PAULO - NÃO CHEGUEI!!!!!!



MARATONA DE SÃO PAULO - NÃO DEU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Boa Tarde a todos

Este final de semana passei por mais uma experiência com a corrida.
A de não conseguir chegar ao final do desafio.
È péssima a sensação, ver as pessoas indo embora e não conseguir acompanhar, é horrível, mas contarei a história toda.
Eu e a Cleide acordamos por volta das 05:00hs, dormindo em minha casa estava a Vera, irmã da Cleide, ela correria os 10km e a Cleide os 25km.
Tudo tranqüilo, tomamos a penas um cafezinho, deixamos para tomarmos um bom café na padaria, afinal a corrida só começaria as 09:00, havia tempo suficiente.
Chegamos no estacionamento da rua Tutóia as 06:45, os nossos amigos Crezildo e Gláucio já estavam nos aguardando, fomos na padaria tomamos um café em seguida chegou o Félix.

Pegamos um ônibus comum e nos dirigimos até o ponto da largada, que seria na ponte Estaiáda, região do Morumbi.

No ponto de largada encontramos vários amigos, alguns iriam para os 42km outros para os 25km, todos em ponto de bala.
Eu estava me sentindo ótimo, para dizer a verdade, nunca estive tão bem para uma corrida como me sentia para esta maratona, tinha uma empolgação até fora do comum, em um primeiro momento estava na cabeça apenas chegar, mas conforme chegava a hora da largada, sentia que daria para fazer melhor, achei que poderia até diminuir o tempo da maratona de Porto Alegre que era 04:07hs.
Mas como dizem, “fazemos um planejamento e DEUS faz outros”
Foi o que aconteceu, foi dada a largada, estava posicionando bem atrás, afinal ainda estava indeciso que faria na corrida, por isso, tive uma saída cautelosa, com bastante calma.
Quando chegou no km 1, isso mesmo, no km 1, comecei a sentir um pequeno desconforto na panturrilha esquerda, achei que não tivesse feito um aquecimento, continuei, e sempre frisando sem forçar, mas quando chegou no km 2, parecia que havia furado um pneu de carro, veio uma fisgada forte e logo em seguida um forte dor, a maratona de São Paulo acabou no km 2.
A sensação foi de raiva, ódio, eu simplesmente não acreditava no que estava acontecendo, nunca fui para uma maratona tão bem como estava nesta, e não passei do km 2.
No começo da lesão não acreditei e ainda tentei continuar, mas a dor era muito forte, passou do meu lado o Junior e vendo que eu estava com dificuldades me perguntou se não poderia acompanhá-lo até o km 25, tentei , mas não dava, passei a andar.
Até para caminhar estava difícil, todos me passando, veio a mente alguns amigos que também passaram pela mesma situação, o Dídimo, Rodrigo, Edson, Lú, Crezildo e tantos outros, e pensei comigo, é um momento muito difícil.
Cheguei na região do Ibirapuera, fiz os 10 km com duas horas de caminhada, cada posto de água eu pegava um gelo e colocava na lesão.
Chegando fui entregar o chips, a menina queria me entregar a medalha, mas respeitosamente recusei, afinal não consegui vencer o desafio, portanto não merecia a medalha. Fiquei na arquibancada aplaudindo e tirando fotos dos amigos que estavam para chegar, fiquei até todos chegarem.

Bem agora farei a mea-culpa.

Vários amigos me alertaram para o risco que eu correria fazendo duas maratonas em uma semana, não dei ouvidos, e continuei com o meu projeto e paguei o preço.
Quando cheguei na região do Ibirapuera já cheguei melhor em matéria de pensamentos, afinal eu joguei e perdi, e perder também faz parte do jogo.
Estou sempre correndo em várias regiões, tanto de São Paulo, quanto do Brasil, e não lembro de voltar contundido, tenho que estar preparado também para não chegar, como eu disse no começo, é uma experiência nova.
Em compensação fui beneficiado vendo vários amigos que aceitaram o desafio de correr uma maratona e chegarem muito bem, nos brincamos bastante, mas eles sabem que torço por eles e fiquei muito feliz vendo-os chegarem, sei não é fácil correr 42km.
Vou deixar claro que não desisti do meu projeto, vou tratar a lesão e arrumar uma outra maratona para substituir a de São Paulo e é claro me preparar melhor.

Gostaria de comentar também sobre um amigo que conheci no SESC Pinheiros algum tempo atrás, o nome é Artur. Ele foi de uma solidariedade fantástica, comprou alguns gatorade e ficou no km 15 distribuindo para os amigos que passavam, ele havia combinado que ficaria neste km da corrida para me entregar um, e fiquei muito chateado por estar contundido e não ter como avisá-lo que não chegaria.
Mais tarde liguei para ele e fiquei sabendo que ficou no local até passar o caminhão desmontado a pista, aí sim ele teve a certeza de que eu não passaria.
Artur quero usar este blog para te agradecer em meu nome e tenho certeza em nome da turma toda pela sua solidariedade e pela sua amizade, MUITO OBRIGADO.

Tenho certeza que o ano que vem não tomarei o gatorade, por que você não estará lá para entregá-lo, sabe por que?------ porque você estará correndo conosco.

ABRAÇÃO MEU AMIGO E MAIS UMA VEZ MUITO OBRIGADO.

Gostaria de dar os parabéns a todos que venceram este desafio.

A Vera irmã da Cleide que correu os 10km, e tenho certeza que estará sempre correndo com a turma.



A Cleide que completou os 25km, e o ano que vem esta planejando fazer os 42km. Arnaldo, Eva, Gláucio, Crezildo, Junior, Félix, Edmilton, e a todos que participaram deste grande desafio.


VIDEO DA CHEGADA DO ARNALDO
video

VIDEO DA CHEGADA DO GLAUCIO
video


VIDEO DA CHEGADA DO CHUCHU video

Parabéns a todos.

Próximo tiro: ESTALEIRO, FUNILARIA COMPLETA, E TALVEZ UMA PINTURA NOVA.