segunda-feira, 24 de novembro de 2008

MARATONA DE CURITIBA



Bom dia pessoal
Este final de semana estive no Paraná, mais específicamente na cidade de Curitiba, para participar da maratona. Fuí com o pessoal da Tavares assessoria.
Saímos de São Paulo na sexta feira mais ou menos meia noite, fizemos uma viagem tranquila, apesar de rodar na BR 116 que é conhecida como a Rodovia da morte.
Chegamos na cidade as 06:30hs, onde ja fomos direto tomar um café caprichado do hotel.
Logo depois do café, fomos buscar os kits, afinal haviam 43 pessoas no ônibus que iriam participar do evento, algumas pessoas correriam 10km.


Com isso nós ficamos mais de duas horas, só para conseguirmos sair do local da entrega dos kits, depois fomos almoçar em um restaurante chamado VENEZA que fica no bairro Santa Felicidade, onde havia um rodizio de massas, o que para nós era importantíssimo.



Conheci algumas pessoas bem interressantes, o Mineirinho que estava tentando chegar pelo menos em 10º lugar na categoria, mas infelizmente ele se machucou, e não conseguiu seu objetivo.
O Carlos um psicólogo que estava correndo a sua 8º Maratona em um ano, isso mesmo era a 8ª maratona, e também o Leo um amigo que mora na cidade e nos levou para conhecer a mesma, e ja havia corrida a maratona do ano passado e estava nos passando algumas dicas e assim foi o dia de sabado.da esquerda para direita, CARLOS, LEO e MINEIRO.


Chegou o grande dia, eu estava bem apreenssivo, pois ja tinha observado a altimetria do prova e sabia que vinha chumbo quente para cima de nós.
Acordamos por volta da 05:30, fomos tomar café, fazer todos os preparativos para a prova.
Durante a preparação, levei dois tênis, para escolher o melhor para correr os 42.195km, mas fiz a escolha errada, em uma prova de 10km, quando voce calça o tênis e tem alguma coisa incomodando da até para suportar porque a prova é relativamente rápida, mas em uma prova de 42.195, pode ser fatal, como eu haveria de descobrir mais tarde.

A largada masculina foi dada as 08:00, comecei normal, procurando não se empolgar, pois a corrida era longa, nos primeiros 10km conclui em 58m, mas estava sentindo muito incômodo com o tênis,o pé esquerdo começou a machucar, para evitar a dor começei a pisar diferente tentando compesar e aliviar um pouco a dor.
Estava indo até que razoável, o percurso era muito difícil, muitas subídas, o que vai minando suas forças, no 15km fechei a 1:28hs, onde tive que dar uma parada, tirar o tênis e tentar de alguma maneira ajustá-lo o melhor possível. No km21, cheguei com 2:10, mas os meus problemas haviam aumentado de maneira muito intensa, o sol abriu de vez, apesar de vários pontos de hidratação, não havia água que desse conta do recado, mesmo assim desistir jamais, esse era o meu pensamento.

Depois do km32 as coisas conseguiram piorar ainda mais um pouquinho, começou ums ataques de cãibras, principalmente no pé onde o tênis estava machucando, aí sim pensei em desistir da prova, você olha para todos os lados e vê pessoas passando mal, esperando a ambulância, porque não conseguiam dar um passo a mais.
O seu psicológico vai ficando minado, estava sozinho, todo dolorido, pessoas passando mal em minha volta, por um momento sentei na calçada e procurei fazer um alongamento na região afetada, um pessoa de bicicleta se aproximou e perguntou se eu queria que chama-se a ambulância, sem querer ela me deu o estímulo que eu precisava, pois fiquei pensando, passar a linha de chegada em uma ambulância, agradeci a ela, me levantei e fui em frente, mas para mim a corrida havia terminado no km32, porque o restante foi no arrasto e na força de vontade. Para vocês terem uma idéia como foi difícil dos 32km em diante.
Cheguei nos 30km com o tempo de 03:10, ou seja, um tempo até razoavel para aquele percurso e para a situação em que me encontrava, estava calculando em chegar com o tempo maximo de 04:30, fui chegar com o tempo de 04:53.

Mas consegui concluir a prova, passei pela linha de chegada correndo e recebendo palmas dos amigos, em especial o Edmilton, pessoas que ja haviam concluído a prova, foi um momento maravilhoso, de missão cumprida, fiquei muito feliz, pois não desisti do meu ideal.

Durante a corrida e a dificuldade que estava passando, me veio a mente uma frase, que acabou me dando a maior força, a frase é do Campeão de ciclismo Lance Armstrong.

"A DOR É TEMPORÁRIA. ELA PODE DURAR UM MINUTO, UMA HORA, UM DIA, OU UM ANO, MAS FINALMENTE ELA ACABARÁ E ALGUMA OUTRA COISA TOMARÁ O SEU LUGAR. SE EU PARO E DESISTO, NO ENTANTO, ELA DURARÁ PARA SEMPRE.


ABRAÇÃO A TODOS

PRÓXIMO TIRO: SESC DE INTERLARGOS CORRIDA RÚSTICA DE 7 KM, PERCURSO CURTO MAS UMA CORRIDA BEM DIFICIL.

Um comentário:

Hideaki disse...

Fala Edmilson!! Parabéns!! Realmente esta prova foi um desafio e tanto! Não sei se você é obsessivo como eu, mas em todo o caso, o nome do restaurante é Veneza www.restauranteveneza.com.br e fica no bairro de Santa Felicidade. Foi um prazer conhecê-lo. Abraço!